NÃO É VOCÊ, SOU EU | PENSAMENTOS

A primeira vez que ouvi essa frase foi em um filme de romance, onde o personagem se desculpava por não ser bom o suficiente para a outra pessoa, e ela dizia: O problema não é você, sou eu! 
 Mas eu não vim falar de romance, me desculpa se você veio aqui por isso, MAS FIQUE! Tenho um bom motivo pra lhe dizer essa frase sem resquícios de amor.



 Mas antes de explicar, vamos a uma situação hipotética, ok?

 Digamos que Ingrid sempre foi uma menina de fazer as coisas que ela queria, e sempre que falava pras pessoas que ia fazer algo, ou que descobriam que ela ia fazer, as pessoas a criticavam, ou na pior das hipóteses falavam tão mal da decisão dela que a colocavam pra baixo. E isso sempre desanimava a Ingrid, até que um dia ela percebeu que a decisão de fazer algo era dela e que ninguém tinha nada a ver com isso. 

 Claro que você vai me dizer que já sabe disso, e que alias já pensa dessa forma. E sim, não estou aqui pra te dar uma resposta nova e sim para explicar algo sobre esse comportamento das pessoas que vai um pouco além do gostar ou não.

 Eu mesma, durante muitos anos, sempre tentei emagrecer, e toda vez que fazia isso eu ouvia piadinhas como: "Ah tá... duvido" ou "Pra emagrecer tem que acordar cedo, se não, não adianta nada", ou até "tem que parar de comer doce, você come doce demais, por isso é gorda".
 Juro, eu já ouvi coisas disso para pior. E isso me desmotivava muito, nos primeiros dia (na verdade só durava um dia), eu dizia a mim mesma que eu iria mostrar pra todos que eu conseguia sim, mas no final pensava: A quem estou querendo enganar, eu não vou conseguir.

 E isso não era só com emagrecer, eu sempre tive o hábito de chegar cedo nos lugares em que vou, seja escola, trabalho, compromisso, viagens. Eu gosto de contar com o tempo ao meu favor, e não ser escrava dele. E isso sempre incomodou muito as pessoas: "Mas se você entra as 9h pra quê chegar as 8h30?", ou algo como "O que você faz aqui tão cedo? Ah se fosse eu, só chegaria 9h em ponto". Claro que coisas como isso não me chateavam, mas me incomodavam, como as pessoas podem se intrometer tanto na vida dos outros? Eu pensava. 

 Até que eu li o livro da Paula Abreu, Escolha sua Vida, onde ela explica o problema dessas pessoas aí em cima que eu citei: elas sentem que se você está mudando, é por que elas tem que mudar também. Se eu chego 8h30 no trabalho que começa as 9h, quem chega as 9h em ponto tem que mudar? 
 Não, quem quer chegar mais cedo sou eu.

 Seu eu quero emagrecer 20kg e ter uma hábito de vida melhor, e você não está fazendo isso, não tem problema algum, cada um muda aquilo que lhe incomoda. 
As pessoas se incomodam muitas vezes também, por que já tentaram mudar algo como você está tentando e falharam. 

 E você não tem que se sentir incomodado por que o outro está mudando, é a mudança dele e não sua. Vocês conseguem entender que não é vocês, sou eu? Eu quero ser assim, ninguém precisa mudar se não quer, mas se a minha mudança incentiva você a querer mudar algo que te incomoda, então vamos compartilhar experiências.

 E eu finalizo assim como a Paula escreveu em seu blog:

"O que eu quero, e quero mesmo, é fazer você parar pra pensar, se perguntar, se questionar, e descobrir o que você pode mudar na sua própria vida em busca de mais qualidade, pra ser mais feliz. É só plantar a semente da dúvida e convidar à reflexão.
De resto, não é você, sou eu."

2 comentários:

  1. Adorei seu texto! ♥ Obrigada pela bela reflexão, me ajudou muito. Bjs.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.